Parques Nacionais dos Estados Unidos

Quando me perguntam qual o parque que eu mais gostei de visitar, sempre vem o Glacier NP (National Park) na cabeça. Passamos oito dias lá, bem mais do que ficamos em qualquer outro parque. Além das trilhas, que todo parque tem, a estrutura oferecida pelo Glacier NP nos fez ficar tão à vontade e confortáveis que não queríamos ir embora. O ponto alto dessa estrutura é o serviço de shuttle, os ônibus oferecidos gratuitamente que circulam o parque todo, o dia todo, facilitando muito a vida de quem tem uma barraca no teto do carro, e precisaria desmontá-la todo dia de manhã para dirigir do acampamento até o começo das trilhas.

Glacier NP com toda sua beleza

O conceito de parques nacionais americanos é algo que imagino não ser encontrado em outro lugar. Quando se pensa em parque nacional, lembramos das questões naturais (deve ter gramados, cachoeiras, trilhas, pedras, florestas, até desertos, algo único e vasto de ser explorado) mais do que nas estruturais. Mas o que diferencia um parque bom de um parque ruim, o que faz você querer ficar mais tempo explorando, é muitas vezes a infraestrutura.


Glacier NP é um parque que tem trilhas, lagos e glaciares – assim como Banff, um parque nacional do Canadá. Inclusive, olhando somente as fotos, os dois são bem parecidos por oferecerem o mesmo tipo de “natureza”. Mas nós tivemos experiências bem diferentes nos dois parques, tão diferentes que ficamos 8 dias no Glacier e apenas 2 no Banff, que não deixou uma boa lembrança e não nos fez ficar com vontade de voltar. E iIsso foi apenas uma consequência da infraestrutura oferecida.

Banff tem uma beleza natural exuberante!

O dia-a-dia é bem fácil no Glacier NP, inclusive em período de férias. Eles oferecem vários acampamentos dentro do parque e, como já comentei, o transporte dentro do parque é facilitado por conta dos shuttles. Já no Banff, ficamos no acampamento mais próximo das principais atrações, e demoramos pelo menos 40 minutos dirigindo até chegar no lago que ficava mais perto. Eles oferecem algumas linhas de ônibus, pagas, mas não há ponto de ônibus localizado perto o suficiente do acampamento. Ou seja, temos que fechar a barraca e dirigir, obrigatoriamente. E como a grande maioria das pessoas que visita o parque tem que dirigir, era de se imaginar que os estacionamentos comportariam alguma parcela dessas pessoas – mas os estacionamentos estavam sempre tão lotados que parecia piada. Um funcionário nos recomendou chegar antes das 5:30 da manhã para conseguir parar o carro no único estacionamento perto das principais trilhas do parque, ou visitar o parque depois das 7 da noite (o que funciona se seu objetivo é apenas ver os lagos e tirar uma foto, mas não funciona se você quer realmente visitar o parque e fazer as trilhas). Nos programamos e fizemos o recomendado, chegamos antes das 5:30 da manhã, paramos o carro, fizemos as trilhas, e o dia foi ótimo. Não dá para negar a beleza natural de Banff, as trilhas foram maravilhosas, mas deu tanto trabalho que com certeza Banff não está na nossa lista de parques preferidos.

Essa é uma casa de chá no Banff. A gente não teve coragem de encarar essa fila :(

Antes de eu ter visitado um parque nacional nos Estados Unidos, eu imaginava que o passeio duraria um dia, eu teria que levar todas as minhas comidas, seria como um piquenique na praça perto de casa, só que num lugar maior. Mas os parques daqui são muito bem desenhados, fazendo com que muitas famílias venham passar férias inteiras em apenas um parque – e garanto que tem coisa para fazer durante todo esse tempo. A grande maioria dos parques conta com uma estrutura ótima:

- acomodação: acampamentos e hotéis, alguns inclusive bem chiques, e alguns parques também oferecem cabanas;

- alimentação: refeitórios, lojas de conveniência, espaço para piquenique;

- banheiros, chuveiros, lavanderia, posto de gasolina, lojas, tudo isso tem na maioria dos parques!


Preciso também falar sobre os “rangers”, funcionários dos parques que têm várias funções e estão sempre preparados para ajudar. Já assistimos a algumas palestras dadas por rangers, sobre fauna e geografia. Aprendemos a usar o “bear spray” (spray de pimenta utilizado contra ursos em caso de ataque) numa demonstração feita por uma ranger. No parque Denali, no Alaska, fizemos uma das melhores trilhas de todos os tempos, guiada por uma ranger. Sempre vemos rangers pelas trilhas, e ficamos mais seguros de saber que podemos contar com eles caso algo aconteça.

Trilha guiada por uma ranger em Denali - um dos pontos altos da viagem!

Nos parques do Canadá, não vimos rangers em nenhum momento. Não sei dizer se por lá não existe esse conceito, ou se são poucos rangers e acabamos apenas não avistando nenhum – mas com certeza a experiência de visitar um parque nacional nos Estados Unidos, com os rangers, estrutura oferecida e, claro, a natureza, não se iguala a nenhuma outra.


Mais algumas fotos do Glaciar NP. Ficamos tão confortáveis em não ter que desmontar acampamento toda manhã que montamos a rede presa no Howdy!