Anotações do Mês - Outubro 2019

Todo mês, vou fazer uma transcrição do meu caderninho de anotações da viagem. Não anoto todos os dias, mas apenas os momentos que me marcaram e que eu não quero esquecer. Acho que vai dar uma boa ideia do que vemos (e vivemos!) no dia-a-dia da viagem.


Terça, 01/10 – Vancouver, Canadá

Chegamos em Vancouver, o Fê consertou o pneu, tudo certo. Andamos por Vancouver, que cidade linda! Segundo meu amigo Camilo, ela se parece com o Rio de Janeiro, porque tem montanhas e praias.

Pôr do sol visto da balsa

Quarta, 02/10 – Vancouver, Canadá

Fiz um free walking tour por Vancouver – eu adoro esse tipo de tour! Já estava com saudades de andar por uma cidade grande. Estamos ficando num Airbnb muito interessante, é uma cama de casal na sala, separada por uma cortina. Pegamos dicas de restaurantes chineses com a dona do apartamento (tem muitos chineses por aqui no Canadá) e almoçamos num deles hoje.



Final da noite

Nos encontramos com o Mads (dinamarquês) hoje à noite num bar. Acabamos a noite num outro bar, conversamos a noite toda, foi muito bom!


Antes disso, à tarde, passeando pelo centro, caímos numa rua que é a “cracolândia” daqui. Foi meio assustador, vimos uma pessoa sangrando de um machucado na cabeça, mas o pior foi ver uma família com duas crianças pequenas. O pai, visivelmente drogado, brincava com o filho mais velho (de uns 6 anos) de pegá-lo no colo como num aviãozinho e fingir bater sua cabeça na grade. Podia dar bem errado.


Enfim, tirando essa rua, o centro antigo de Vancouver é bem charmoso e tem vários cafés. A parte que mais gostamos foi Yaletown, onde saímos com o Mads.






Quinta, 03/10 – Vancouver, Canadá

Hoje foi dia da preguiça no Airbnb. Aproveitamos que estava chovendo para lavar roupas e fazer as unhas. Saímos apenas para almoçar num brasileiro! Foi a primeira vez na viagem que comemos num restaurante brasileiro. Caldinho de feijão, pastéis e feijoada!



Sexta, 04/10 – Osoyoos, Canadá

Saímos de Vancouver hoje, mas antes fomos conhecer um parque. Entendemos porque a cidade é conhecida como “Raincouver”, haha.


Sábado, 05/10 – Idaho

Voltamos aos Estados Unidos! Foi tudo bem na fronteira, tivemos que abrir a geladeira para uma inspeção e pagar taxa de entrada.


Segunda, 07/10 – Yellowstone, Wyoming

Hoje finalmente o Fê conseguiu pesar o Howdy! Encontramos um posto de gasolina com balança de caminhões que pudemos usar. Ele é realmente muito pesado, aproximadamente 3 toneladas!


Está começando a ficar bem frio e o Fê achou uma fazenda de alpacas que vende cobertores. Fomos lá, compramos um cobertor de casal super quentinho! Visitamos a fazenda, demos comida para as alpacas, conversamos com a dona, foi um passeio bem divertido.


Chegamos em Yellowstone! Não via a hora desse dia chegar; nós ficamos um tempo em British Columbia sem fazer muita coisa, eu já estava ansiosa.


Terça, 08/10 – Yellowstone, Wyoming

Acordamos em Yellowstone, fizemos uma trilha (Mount Washburne) que estava toda coberta de neve. Era só subida, a vista era linda, mas foi muito cansativo. Quando estávamos já no topo mas ainda há uns 10 minutos do final, eu não aguentei e sentei no chão (na neve) e comecei a chorar. Estava muito vento, muito difícil de andar e o final da trilha não chegava nunca. Paramos ali mesmo e decidimos voltar. O Fê colocou FooFighters no celular dele e descemos cantando, bem devagar, foi ótimo!

Calmaria antes do desespero

Ainda nesse dia dirigimos por uma região do parque que tem muitos bichos.Vimos um monte de bisões, e até um lobo! Primeira vez que vimos um lobo na vida! Ele estava muito longe e só vimos de binóculo. Eu até achei que fosse uma raposa, haha.

Estava muito frio para cozinhar no camping, fomos até a cidade mais próxima comer pizza. Era um dos únicos lugares abertos (agora já é fora de temporada) e foi bem ruim.


Quarta, 09/10 – Bozeman, Montana

Acordamos com o camping todo coberto de neve!! Fez pelo menos -15 graus C à noite, a nossa noite mais fria até agora. Ainda estava caindo neve de manhã, foi bem difícil desmontar o acampamento.



Resolvemos sair de Yellowstone e ir para a cidade, o que foi uma ótima decisão pois a maioria das estradas do parque foram fechadas por conta da neve.


Quinta, 10/10 – Bozeman, Montana

Passamos ontem e hoje no hotel, na cidade de Bozeman, vendo o status das estradas. Hoje à tarde elas abriram, amanhã vamos voltar para Yellowstone!


Aproveitamos para ir no mercado e compramos decoração de halloween para os lobinhos! E, claro, vimos MasterChef!
















Sexta e Sábado, 11 e 12/10 – Yellowstone, Wyoming

Vimos Yellowstone inteiro nesses dois dias. A graça do parque está mesmo nas “atrações geotermais” – lagos de bactérias que os tornam azuis, verdes, amarelos e alaranjados, e os gêisers. Muito impressionante é o cheiro de enxofre exalando das atrações.



Vimos o gêiser mais famoso do parque (Old Faithful) que explode mais ou menos a cada 1 hora e meia. Foi demais! E depois, por sorte, vimos um outro bem maior, que só explode uma vez por dia! Impressionante, e ainda tinha um arco-íris do lado.

Old Faithful
O outro gêiser, que é mais raro de ver

Gostamos de ver o parque no inverno, porque ele estava bem vazio. Difícil imaginar ele lotado no verão, deve ser bem ruim! Outra vantagem foi ver o contraste entre as cores das atrações e o fundo branco, de neve. Com certeza no verão a paisagem e, consequentemente, a experiência é bem diferente.


Ah, vimos um grand canyon também! Uma das partes que mais gostei. É uma imensidão de pedra impressionante.



Domingo e Segunda, 13 e 14/10 – Jackson Hole, Wyoming

Dormimos esses dois dias em Jackson Hole, que fica para baixo do Grand Tetons National Park. É uma cidade bem bonitinha de inverno, com várias lojas e restaurantes. Foi bom para dar uma esquentada, já que acampamos antes de vir pra cá.


Grand Tetons é um parque bem simples – tem umas trilhas, uns lagos, mas nada demais. A não ser pela vista dos Tetons, que é linda demais! Tudo na região parece ter tons pastéis, com uma névoa diferente. O tempo estava ótimo, mas frio.

Grand Tetons e os tons pastéis

Terça, 15/10 – Grand Tetons, Wyoming

Saímos do hotel e resolvemos acampar no Grand Tetons. No caminho para o camping, cruzamos com um jeep e paramos na estrada para conversar – Paul e Chrissie, do Reino Unido, aposentados, estão rodando o mundo no jeep. Nos contaram de um “work away” que eles fizeram numa ilha do Alaska, criando ostras!


Passamos muito bem a noite, com a vista maravilhosa dos Tetons.


Quarta, 16/10 – Antelope Island, Utah

Chegamos em Utah – temos indicação de mecânicos e vamos aproveitar para trocar a suspensão do Howdy, que já está bem usada. Dormimos na Antelope Island (que fica no próprio Salt Lake “lago salgado”), muito interessante ver uma praia de sal.


Quinta, 17/10 – Salt Lake City, Utah

Salt Lake City é a cidade dos mórmons, e eu queria aproveitar para aprender mais sobre isso. Depois de fazer uns compromissos (lavanderia), comemos pizza num lugar bem descolado (me lembrou o baixo Augusta, em São Paulo) e fomos ouvir o ensaio do coral da igreja.


A fila estava gigante! Vimos várias famílias jovens, com três ou mais filhos. O coral foi lindo – mais de 360 cantores e orquestra ao vivo.


Pegamos um dos hotéis mais baratos da cidade, e foi um dos piores até agora. Pelo menos não tinha bed bugs! Sim, nós checamos.


Aproveitei a cidade grande para fazer compras, já que vou para Las Vegas amanhã. No shopping, tudo normal, nada de moda diferenciada por conta dos mórmons. Comprei um vestido de brilho, uma blusinha florida e uma sandália por 40 dólares tudo.


Sexta, 18/10 – Salt Lake City, Utah

Fomos no museu Toyota Land Cruiser conhecer os parentes do Howdy. Muito interessante, tem Land Cruisers super antigos, incluindo um do Brasil. Os da década de 60 são os mais bonitos, de cores pastéis!


Antes de ir para o aeroporto, fui no Museu dos Mórmons. Super bem feito e gratuito, me surpreendeu. Conta toda a história da origem da religião, as exposições são interativas, tem inclusive um cinema com tela curva. Vale muito ir.


Fui para o aeroporto, meu vôo para Vegas foi atrasado duas vezes, até que saiu, já de madrugada.


Cheguei no Airbnb, quase que não consigo entrar no quarto pois meu nome não estava na reserva (e eram 2h da manhã!) mas no final deu tudo certo.


Sábado, 19/10 – Las Vegas, Nevada

Fê ficou em Salt Lake City nesses dias.


No sábado, chegaram a Cínthia, Yessica (Argentina) e os 4 brasileiros (mais tarde).

Eu e as meninas fomos na pool party do hotel (Marquee no The Cosmopolitan), foi super legal. Antes de sairmos, ficamos bebendo no quarto e conversando, foi o ponto alto da viagem. Estava com saudades da Cínthia. Saímos da festa e fomos para o In-and-Out, uma hamburgueria famosa da região. É fast food, mas estava uma delícia e o preço também é ótimo.


Descansamos um pouco e fomos encontrar os meninos num outro hotel, na porta da balada da noite. Um dos meninos não conseguiu entrar, porque o gerente achou que ele estava bêbado. Estávamos tentando pegar dois táxis (7 pessoas) para outra balada, e acabamos pegando uma limusine! Foi super divertido. Mas acabou que ela nos deixou num stripclub, que estava bem caído. Fiquei bem pouco e voltei para o Airbnb.



DJ de boné preto virado para trás e camiseta preta

Domingo, 20/10 – Las Vegas, Nevada

Fomos todos os 7 para outra pool party. Fomos andando pela strip – eu tinha impressão de que Las Vegas era bem brega e decadente. Mas eu gostei muito! Os hotéis são sim super decorados e temáticos, mas eu achei muito bem feitos e nada decadentes. Todos os hotéis são super chamativos e têm cassinos.


Essa pool party também foi legal, inclusive no final o DJ tocou música brasileira e desceu para dançar com a gente!


À noite fomos para balada – foi bom, mas estava super lotada e eu me senti meio cansada. Voltei para o Airbnb mais cedo.









Segunda, 21/10 – Las Vegas, Nevada

Acordei meio gripada e decidi não ir com a galera para o Grand Canyon – eles alugaram um carro e acabaram dirigindo 8 horas! Quando voltou, a Cínthia disse que foi bom eu não ter ido, eu não ia ter gostado (sertanejo tocando alto e os meninos dormindo na volta).

Eu descansei bastante, mas saí um pouco à tarde, comi no Momofuko no almoço, vi as fontes do Bellagio duas vezes (muito lindo!) e jantei no restaurante do Gordon Ramsay!! Ele tem 3 restaurantes em Vegas, eu fui no de carnes e comi beef wellington! Esse prato estava na minha lista de comidas há um tempão, e eu não imaginava que iria comer o do Gordon Ramsay! Comi também um risoto com trufas (outro prato da minha lista), estava tudo delicioso! Mas olha, foi bem caro.



Terça, 22/10 – Salt Lake City, Utah

Último dia em Vegas, andei com as meninas pelos hotéis, almoçamos e fui para o aeroporto.


Em Salt Lake, o Fê tentou fazer uma surpresa e me buscar no aeroporto, mas deu errado e eu acabei indo para o Airbnb sozinha.


Quarta, 23/10 – Salt Lake City, Utah

Um amigo meu do tempo do Credit Suisse me mandou mensagem e marcamos de nos encontrar hoje. Ele nos buscou no Airbnb e nos levou para sua casa, bem perto de Salt Lake.


Passamos uma noite muito gostosa com sua esposa e seus dois filhos!


Eles são ex-mórmons, muito interessante ver sua perspectiva sobre a religião. Não têm nada contra a igreja, mas parecem felizes agora que podem beber (meu amigo experimentou álcool pela primeira vez aos 32 anos!) e tomar café.


Quinta, 24/10 – Salt Lake City, Utah

Os donos do Airbnb que estamos ficando em Salt Lake são mórmons, e o marido foi missionário no Brasil (em Campinas) por 2 anos. Disse ter saudade da comida brasileira, então eu combinei de fazer strogonoff para o almoço de hoje. Eles gostaram muito, inclusive a esposa, que nunca tinha comido.


Eram um casal jovem (20 e poucos anos), ele ainda está na faculdade e eles moram em uma casa de 3 quartos!


Mudamos de Airbnb, e fomos ao cinema ver Joker. Que filme maravilhoso!! Fomos num bar/cinema, que inclusive tem uma prateleira de apoio entre as fileiras de poltronas.


No novo Airbnb, conhecemos uma finlandesa, viajando com a filha (de uns 7 anos) para visitar o pai de sua outra filha. Muito simpática!


Sexta, 25/10 – Salt Lake City, Utah

Saímos do Airbnb e passamos a tarde toda esperando o Howdy ficar pronto. Fomos buscá-lo, e no final descobrimos que eles não fizeram nada como o Fê havia pedido. Trocaram a suspensão, mas somente isso. O Fê tinha dado uma lista de pequenos ajustes, e tinha especificado a marca de algumas peças, e nada disso foi seguido. Primeira grande decepção com mecânicos.


Fomos dormir na casa do meu amigo do Credit Suisse. Sua mulher estava com uma encomenda gigante de brigadeiros e beijinhos, e ficamos conversando (e bebendo vinho) até 3h da manhã!


Domingo, 27/10 – Em algum lugar em Nevada

Deserto de Nevada

Dirigimos hoje o dia todo – estamos indo de Utah para a Califórnia ver Yosemite. Nos últimos dias, abrimos o mapa dos Estados Unidos e conversamos muito sobre os próximos passos. Não há uma rota lógica ligando todos os lugares que ainda queremos ver, e também estamos tentando ver primeiro os parques que fecham no inverno. É impossível ver os Estados Unidos inteiro numa única temporada de verão; algumas coisas não vamos ver, ou vamos ver com tudo coberto de neve.

Decidimos ver os parque de Yosemite e Sequóia na Califórnia, e subir para Seattle, assim pegamos o aniversário do nosso amigo Pedro. Na volta, tem mais Califórnia e Grand Canyon!


É bem difícil comer de forma saudável durante a viagem (na verdade, em qualquer momento da vida). Como faz tempo que não fazemos trilha, hoje eu saí para correr. Estávamos acampados no meio do nada, no deserto de Nevada. Botei tênis e saí correndo. Não tem nenhum exercício mais fácil do que isso! Me senti muito bem no final.


Segunda 28/10 – Yosemite, Califórnia

Chegamos em Yosemite! Confesso que esperava mais – o parque é lindo, mas tirando o paredão El Capitán, não tem nada de único. Tem trilhas e cachoeiras, tudo muito bonito, mas não entendo o motivo do parque ser tão famoso.


É super legal olhar El Capitán e procurar os escaladores! A parede é tão gigante que mesmo bem de perto não dá para ver ninguém, só de binóculos! Vimos uma pessoa sentada numa cadeira, em cima de uma van!


Vimos também algumas sequóias gigantes – e isso antes de chegarmos no parque das Sequóias.


Terça 29/10 – Yosemite, Califórnia

Mais um dia no Yellowstone. Estamos fazendo wild camping, têm vários lugares bons perto do parque.


Ralamos a lateral do Howdy numa árvore hoje! Era final do dia, chegamos no camping e paramos o carro num canto. Um dos casais que já estavam lá veio nos alertar que havíamos parado bem embaixo de umas árvores mortas, que poderiam cair a qualquer momento. Eu fui então procurar outro lugar enquanto o Fê manobrava, e ele não viu um tronco caído bem na altura da lataria do carro do lado direito, e acabou ralando e amassando a porta direita traseira. Eu vi tudo de longe, e saí gritando para ele parar.


Quando tiramos o carro da mecânica há alguns dias, eles haviam deixado a suspensão mais baixa (sem termos pedido) então as rodas da frente ficaram raspando levemente na lataria. Esse barulho estava irritando o Fê desde então, e contribuiu para ele não ouvir quando o carro começou a raspar na árvore.


Eu fiquei lívida de raiva; eu nunca brigo com o Fê por conta de problemas no carro (nem quando o eixo quebrou, logo na primeira semana de viagem) porque afinal de contas ele dirige 100% do tempo. Mas dessa vez eu briguei feio. Não aguento mais ouvir ele falando (e reclamando) de mecânica, e lá vamos nós de novo, e com um problema maior e mais caro para resolver. Ele até chorou me pedindo desculpas (eu também estava chorando, de raiva). Eu me enfiei dentro do carro e só saí quando todas as outras pessoas do camping já haviam ido dormir.


Quarta e Quinta, 30 e 31/10 – Kings Canyon, Califórnia

Passamos dois dias visitando Kings Canyon e o parque das Sequóias. Vimos a maior árvore do mundo! Foi demais, eu queria tanto ver as sequóias gigantes! É realmente impressionante.

Vimos a “maior árvore do mundo” em volume; não é a mais alta, nem a mais larga. Nós temos o costume de zoar o jeito americano de sempre achar uma forma de ser o melhor em tudo. Frases como “maior lago de água doce rodeado por árvores frutíferas a oeste do rio Mississípi” são comuns, e hilárias. Mas a sequóia foi realmente legal de ver.

Esse desenho no chão é uma representação do diâmetro da maior árvore do mundo!
General Sherman - a maior árvore do mundo (em volume)!
Howdy também queria brincar nas Sequóias

  • Instagram
  • Facebook