Anotações do Mês - Julho 2019

Todo mês, vou fazer uma transcrição do meu caderninho de anotações da viagem. Não anoto todos os dias, mas apenas os momentos que me marcaram e que eu não quero esquecer. Acho que vai dar uma boa ideia do que vemos (e vivemos!) no dia-a-dia da viagem.



Terça, 2/7 - Montana

Vamos dirigir bastante hoje, até quando conseguirmos. Estamos a 11 horas do Glacier National Park, e a ideia é chegar quarta-feira pela manhã, para pegarmos vaga no camping. Estamos acompanhando o site do parque, os campings vêm lotando antes das 11 da manhã.


Quarta, 3/7 a Quinta, 11/7 - Glacier National Park

Fizemos algumas grandes trilhas:

Trilha do Hidden Lake

Hidden Lake - passamos por trechos de neve. Vi uma família com umas 5 meninas de uns 15 anos, de saias longas. Uma delas estava de keds e saia jeans, e arrasando na neve! E eu com walking pole, sofrendo, rs. Vi várias crianças bem pequenas, várias em mochilinhas sendo carregadas pelos pais nas costas.





No final da trilha Avalanche, chegamos nesse lago encantador

Avalanche Trail - a trilha chega num lago azul, maravilhoso! Fê tomou um banho no lago. Vimos um urso na outra margem.









A última - e maior - cachoeira da trilha Virgínia Falls

Virgínia Falls - 3 cachoeiras lindas. A maior era super forte e ficamos bem perto, o vento era muito forte! Animal.









Durante a trilha Glacier Trail

Glacier Trail - Pegamos dois barcos e continuamos pela trilha. A paisagem era linda, mas não pudemos terminar a trilha porque havia um trecho muito íngreme coberto por neve. Algumas pessoas passaram, mas o risco de escorregar era grande.





Felipe sentado no iceberg

Iceberg Lake - Maior trilha que já fizemos! Foram 10 milhas (16 km) no total, quase quatro horas andando. Chega num lago com icebergs, o Fê subiu num deles pra tirar foto. Me senti muito bem no final da trilha, principalmente quando tirei a bota e comprei um sorvete!





"Bears, beets, Battlestar Galactica" - antes de chegarmos aqui, eu costumava dizer que ursos não existiam. Já fui em alguns parques que tinham vários avisos alertando sobre ursos e vendiam adesivos e ímãs com urso, mas eu nunca tinha visto um, e achava aquilo tudo um exagero pra vender mercadoria e atrair público.

Uma das placas que encontramos no Glacier: "Ursos entram nesse camping. Guarde toda a comida dentro do veículo. Todo animal selvagem é perigoso. Não se aproxime ou alimente"

Chegando aqui, mesma coisa, vários avisos sobre ursos. Como pretendíamos fazer trilha, fomos numa demonstração sobre bear spray (spray de pimenta usado em caso de ataque de urso) e compramos um para nós.


No terceiro dia aqui, vimos 2 ursos à distância, enquanto andávamos de ônibus pelo parque. Daí pra frente, vimos ursos todos os dias, cada vez mais de perto, mas nunca tivemos que usar o bear spray.


Vimos urso na beira da estrada, na trilha, na outra margem do lago. O camping ao lado do nosso foi fechado para barracas porque um urso entrou e mexeu no lixo (ouvimos que alguém pescou um peixe e estava limpando na mesa do camping, e o cheiro deve ter atraído o urso).


Vimos também esquilos, marmotas, raposas, veados (de muito perto, nas trilhas).


A fruta da região é huckleberry; comprei uma geléia para experimentar. Não deu pra sentir muito o gosto da fruta, me pareceu como uma berry qualquer.


Fê fez aniversário dia 9, foi no dia em que fizemos a trilha Glacier e pegamos o barco. Abrimos um Cava e cantamos parabéns na vela de citronela; Fê fez uma fogueira.


No nosso campsite havia um aviso “cuidado com as marmotas”, porque elas têm toca por ali e já foram vistas pegando comida e fazendo toca no motor dos carros. Um dia de manhã o Fê pegou um ratinho dentro do carro! Ele deve ter entrado pelo motor. Vimos que um outro carro tinha colocado um saquinho com bolinhas brancas sobre as rodas; pesquisamos e era naftalina, usada para afastar os ratos. Compramos também e colocamos nas rodas todas as noites, e aparentemente funcionou, não vimos mais o ratinho perto do carro.


No final, ficamos 8 dias no Glacier National Park, foi o lugar em que ficamos por mais tempo até agora.


Sexta, 12/7 - Calgary, Canadá

Chegamos no Canadá! Segundo país da viagem. Pegamos fila de uns 35 minutos na fronteira, mas a imigração foi bem tranquila, não teve nenhuma revista no carro. Pegamos 2 diárias num Airbnb, a cidade está bem cheia e cara por conta do Stampede, um festival country que tem um dos maiores rodeios do mundo, shows e atrações.


Sábado, 13/7 a Quarta, 17/7 - Calgary, Canadá

Conhecemos um casal de brasileiros, Mariana e Fernando, através da nossa amiga Laura Peruchi. Marcamos um brunch com eles no sábado, e eles nos chamaram para comer um churrasco na casa deles à noite - o Fê nem titubeou e aceitou o convite para o churrasco na mesma hora! Nos demos muito bem com eles e com a Beatrice, filhinha deles de 2 anos. Eles nos chamaram para dormir lá e acabamos ficando 4 noites com eles.


Eu conheci umas amigas brasileiras da Mari que também moram em Calgary - é uma cidade ótima para trabalhar e criar filhos.


Na entrada da Stampede - festival country

No sábado à tarde nós fomos na Stampede - é realmente gigante! Fomos num brinquedo no parque de diversões, foi ótimo, fazia muitos anos que eu não sentia a adrenalina desses brinquedos. Vimos um show de motos fazendo acrobacias no ar, leilão de obras de arte, e mostras de novas tecnologias para fazendas.


Vimos alguns coelhos soltos pela cidade, e a Mari nos disse que na verdade são lebres! Elas são propriedade da cidade e ninguém pode fazer mal a elas. Além de muitos esquilos pretos, as lebres nos surpreenderam bastante!


Prédio no centro de Calgary mostrando que faz parte do "+15"

No centro da cidade, os prédios comerciais são ligados por uma rede de passarelas a 15 feet de altura (aproximadamente 4,5 metros), chamadas de “+15”. É uma forma para os moradores se locomoverem pelo centro sem ter que sair na rua, no inverno. Muitos prédios têm um centrinho com restaurantes e lojas no +15, que também fica aberto no verão e nos finais de semana (me lembrou a cidade subterrânea de Toronto).









Quinta, 18/7 - Canmore, Canadá

Centro de Canmore, puro charme

Saímos cedinho de Calgary para a região de Banff, um parque nacional bem famoso no Canadá. Passamos pelo vilarejo de Canmore - uma cidadezinha linda no meio das montanhas! Tem um centrinho com lojas e restaurantes (até uma churrascaria brasileira!) e as casas são super charmosas, no estilo de chalés.




Sexta, 19/7 - Perto de Canmore, Canadá

Nosso camping em Canmore fica perto da cidade (1 hora e meia de Calgary) então muita gente vem passar só o final de semana. O resultado é que tem muita gente barulhenta, muito mais do que o normal. Nunca tínhamos tido problema para dormir por conta de vizinhos, mas por aqui já fomos incomodados por um grupo de umas 6 mulheres acampando juntas em 1 barraca, que ficaram ouvindo música e conversando até 2hs da manhã. E também por um casal novinho que saiu para passear com o cachorro pelo camping ouvindo música alta.


Domingo, 21/7 - Perto de Canmore, Canadá

Ficamos o dia todo no camping. Levamos cadeiras e canga para a “praia” de pedras do lago do camping. A vista é maravilhosa! Passamos a tarde toda tomando sol e ouvindo Harry Potter.






Segunda, 22/7 - Banff National Park, Canadá

Acordamos cedo e fomos para Banff, para pegar camping. Não estava tão lotado, pegamos um lugar bom.


Terça 23/7 - Banff NP, Canadá

Fizemos 3 trilhas em Banff, foi o dia em que mais andamos! Quase 40.000 passos, 15 km! No meio de uma das trilhas, chegamos um uma Tea House; foi ótimo sentar, tirar a bota e comer um pouco para descansar. Temos visto várias excursões de chineses por Banff, uma quantidade realmente impressionante! Mas quase não vimos chineses nas trilhas, eles devem vir mais para tirar foto dos lagos mesmo.




















Quinta, 25/7 - Jasper National Park, Canadá

Chegamos em Jasper, o outro parque famoso no Canadá. Fizemos umas trilhas curtas e voltamos para o camping. Fê estava cortando lenha com a machadinha quando uma vizinha ofereceu seu machado emprestado. Bem mais fácil! Haha. A vizinha disse que estava olhando para o Fê com a machadinha e pensou que aquilo não ia dar certo.


Sábado, 27/7 - Chetwynd, Canadá

Passamos pela cidade de Chetwynd, em British Columbia. Vimos várias esculturas em madeira pela cidade toda, eles têm uma competição anual e a cidade fica com as peças. Fomos no visitor center (eles emprestam bicicletas de graça!) e assinamos o livro de visitas, não tinha ninguém do Brasil marcado no mapa ainda!


Acampamos num espaço aberto, no estilo “wild camping” - de graça, num pequeno gramado na saída de uma estrada lateral. Uma outra família chegou lá de trailer e nós dividimos o espaço. Eles foram embora antes das 6 da manhã.


Domingo, 28/7 - Fort Nelson, Canadá

Andando pela estrada, vi 2 montes de feno fantasiados de Minion!!


Passamos por Dawson Creek, onde fica o marco 0 da Alaska Highway! Chegamos cedo e conseguimos tirar algumas fotos com o marco.


Numa parada para banheiro, conhecemos Ethan (da Califórnia) e Marion (Noruega). Eles estavam voltando do Oceano Ártico e nos deram dicas de onde dormir e comer, disseram que as pessoas de lá são super simpáticas e gostam de conversar com os turistas que estão chegando lá (a parte final da estrada, que vai até a cidade de Tuk, foi inaugurada há apenas 2 anos). Nos contaram também que as geleiras estão diminuindo drasticamente por conta do aquecimento global, e a temperatura média local subiu em 20 graus C (em uns 50 anos?).


Vimos 2 ursos na Alaska Highway, um marrom e um preto. Vários corvos nos acostamentos. A paisagem é simples, mas bonita, floresta baixa cercada de gramados floridos ao redor da estrada.


Segunda, 29/7 - Fort Nelson, Canadá

Relaxando numa piscina natural

Fomos num Hot Springs delicioso! Piscina natural que mistura uma nascente fria e uma super quente (dá até para ver as bolhas de vapor!).









Jorge Serodio

Conhecemos o Jorge Serodio num posto de gasolina, ele é de Campos do Jordão e foi até o Alaska de moto! Estava com problemas para falar com a família e nós o ajudamos a reinstalar o whatsapp no seu celular.







Terça, 30/7 - Carcross, Canadá

Deixamos nossa marca na Sign Post Forest! Muito emocionante! É uma “floresta” de placas de todos os lugares e jeitos. Fizemos nossa com um pedaço de madeira que tínhamos no carro e nosso cartão de visitas. Passei bastante fita transparente para durar muitos anos!











Quarta, 31/7 - Dempster Highway, Canadá

Primeiro dia na Dempster Highway.

2 comentários
  • Instagram
  • Facebook